ÁREA RESTRITA

Rio de Registradores: “Freguesia da Glória” e “Coração de Jesus”, conheça a história do 4º RCPN do Estado do Rio de Janeiro

Voltar

Localizado próximo ao Instituto Romão Duarte, a serventia coleciona memórias em registros de óbitos por suicídio de Getúlio Vargas e de Machado de Assis

 

Fundado em 1889, o 4º Registro Civil de Pessoas Naturais do Estado do Rio de Janeiro reúne registros de nascimento, casamento e óbito ocorridos em bairros da região da Zona Sul e central da cidade do Rio, como Glória, Catete, Flamengo, Laranjeiras, Cosme Velho, parte de Santa Tereza e do bairro da Lapa. Inicialmente chamada de “Freguesia da Glória” e “Coração de Jesus”, a serventia registral curiosamente contempla a mesma área de abrangência desde sua fundação e mantém seu acervo completo desde a época, reunindo em documentos importantes memórias do Brasil e sua história.

 

Alguns dos registros mais famosos encontrados em sua coleção é o de óbito por suicídio do ex-presidente Getúlio Vargas. Conhecido como o “Bruxo do Cosme Velho”, a lenda da literatura nacional, Machado de Assis, também teve sua morte registrada no 4º RCPN. Por estar próximo à maternidade Perinatal, o cartório possui, também, uma seleção de registros de nascimentos de filhos de celebridades atuais.

 

Priscilla Milhomem, titular da serventia, foi nomeada em 1998 após aprovação em concurso público realizado no Estado. Desde então, ela tem buscado o aprimoramento da prestação dos serviços, investindo constantemente na informatização dos sistemas e conforto das instalações, bem como na excelência do atendimento.

 

Ela explica que o maior acervo do cartório é de segundas vias de certidão, devido a antiguidade do acervo. “Acho que também pela demanda das pessoas em geral de buscarem a dupla cidadania. Muitas famílias que chegaram ao Brasil pelo Rio de Janeiro se instalaram inicialmente aqui, casaram, tiveram filhos ou faleceram, então há muita procura por estes registros antigos” comenta ela.

 

Há também as unidades interligadas que funcionam na Maternidade Escola da UFRJ, com mais de 100 anos, no Instituto Fernandes Figueira ligado à FIOCRUZ, para partos de risco, e na Perinatal de Laranjeiras.

 

O 4º Registro Civil de Pessoas Naturais do Estado está localizado próximo a Fundação Romão Mattos Duarte, uma obra social fundada em 1738, que abriga crianças de até 6 anos que foram destituídas do poder familiar por se encontrarem em risco social. É uma das mais belas obras filantrópicas da cidade, que se tornou o símbolo de caridade do Rio. Devido à proximidade com o educandário, o acervo do cartório conta com muitos registros de crianças que foram “colocadas na roda dos expostos”, no início do século passado, mecanismo utilizado para o abandono de recém-nascidos que ficavam aos cuidados de instituições de caridade.

 

Pandemia

 

Neste período de pandemia da Covid-19, muitas serventias se adaptaram para manter a qualidade no atendimento dos serviços. Priscilla explica que houve investimento em atendimento pelo WhatsApp e também na página do Instagram da serventia. Ela destaca, ainda, que realizou uma cerimônia de casamento online entre uma japonesa e um brasileiro. “O evento aconteceu às 11 horas da manhã do Brasil e às 11 da noite no Japão. Foi todo traduzido para o japonês e contou com quase cem participantes de várias partes do mundo”.

 

Sobre os desafios impostos pela situação de calamidade pública que acometeu o mundo neste último ano, a titular comenta que o foco dos serviços extrajudiciais precisa ser sempre resolver os problemas dos usuários. “Sempre busco inspirar a equipe de colaboradores a se colocar no lugar do usuário e ter empatia, buscar entregar uma solução do problema trazido ao nosso balcão. Acredito que assim estaremos agregando à sociedade, contribuindo da forma que está ao nosso alcance, prestando nossos serviços com ética, integridade, eficiência e fazendo-nos cada vez mais respeitados e necessários no cotidiano da nossa comunidade”, conclui Priscilla Milhomem.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Arpen RJ

 

Fotos